Colheita de trigo avança para 28% da área no Paraná; qualidade preocupa, diz Deral

17/09/2019



A colheita de trigo avançou para 28% da área cultivada no Paraná, ante somente 3% registrados na mesma época do ano passado, após o Estado ter aproveitado o tempo seco para realizar as atividades, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Departamento de Economia Rural (Deral), do governo local.

Até a semana passada, o Estado havia colhido apenas 12% da área. Se a colheita está em bom ritmo, a qualidade do cereal levanta preocupação de produtores em algumas regiões, após problemas de geadas.

"Quem escapou da geada está muito bem em termos de qualidade. Quem não escapou, pode ter trigo para ração", disse Carlos Hugo Godinho, especialista do Deral, chamando a atenção para o problema no oeste do Estado.

O Paraná é o maior produtor de trigo do Brasil, com safra estimada ao final de agosto em 2,7 milhões de toneladas.

"Tem uma variabilidade grande no oeste, é crítica a situação em termos de volume e qualidade em algumas áreas. Boa parte do oeste vai ser classificada como triguilho, tem perda em volume e qualidade", afirmou ele.

Aquela lavoura que foi afetada apenas pelo tempo seco até pode ter um trigo bom para a produção de farinha.

"Quem foi afetado apenas pela seca, tanto no oeste quanto no norte do Estado, pode ter uma boa qualidade, às vezes até melhor, pelo tempo seco na colheita, às vezes a produtividade menor colabora com teor de proteína mais alto", comentou.

Segundo o especialista, diante das adversidades climáticas, provavelmente o Deral fará uma nova revisão para baixo em sua estimativa, já que alguns problemas não foram computados na previsão divulgada ao final do mês passado.

"O Norte vai ter perda por seca, ainda não está registrada a totalidade disso."

 

 


Fonte: Jornal Extra