Boas novas para o trigo

30/04/2019



A moagem de trigo chegou a 12 milhões de toneladas em 2018, crescimento de 3,4% sobre o ano anterior. O presidente executivo da Associação Brasileira das Indústrias do Trigo (Abitrigo), Rubens Barbosa, espera um bom desempenho do setor para 2019, e diz que a decisão do governo Bolsonaro de importar 750 mil toneladas do grão sem tarifa fora do Mercosul não deve afear a relação do Brasil com os países vizinhos. A medida deve beneficiar majoritariamente os Estados Unidos.

 

Qual a avaliação sobre a cota de importação de 750 mil toneladas para o trigo de fora do Mercosul?

A posição da associação é de que esse assunto foi levantado pelo Ministério da Agricultura com o governo americano. Era um assunto antigo na Rodada Uruguai da Organização Mundial do Comércio. Então, não é comércio bilateral, nem foi feito fora do Mercosul, porque na época o Mercosul não existia.

 

A medida causou algum problema para a indústria?

Nós falamos com o Ministério da Agricultura e não temos nenhum inconveniente. Nosso único pedido é que a importação fosse feira na entressafra para não prejudicar os produtores brasileiros.

 

Mas a decisão pode prejudicar a relação do Brasil com países vizinhos?

Na região, apenas a Argentina e o Paraguai fornecem. O Paraguai é pequeno, a Argentina, não. As 750 mil toneladas representam cerca de 10% da importação brasileira. Eu acho que a Argentina é competitiva e a quantidade sem tarifa é muito pequena.

 

Qual a perspectiva do setor para 2019?

Nós estamos prevendo um aumento da moagem, que ano passado já cresceu 3,4%. Evitamos fazer uma previsão, porque isso vai depender do comportamento da economia nacional.


Fonte: Revista Dinheiro Rural